História

 

Nos últimos anos Carolina Bianchi tem mergulhado em uma pesquisa sobre as forças do erotismo e seus desdobramentos na cena, suas pulsões implacáveis de êxtase e morte. Das suas obsessões, resultaram os trabalhos Mata-me de prazer (2016), Quiero hacer el amor (2017), LOBO (2018) e O TREMOR MAGNÍFICO (2020). Os trabalhos foram realizados tendo, como parte fundamental, a criação e vivência de residências artísticas que serviram de alicerce para o compartilhamento e a troca profunda das práticas e teorias abordadas pela artista.

   Cada trabalho é também resultado das problemáticas e obsessões encontradas a partir de experiências no talo, através de práticas específicas, que acabam se tornando uma imensa parte da dramaturgia dos espetáculos. Em Manifesto de um corpo delirante Carolina trabalhava a partir de Mata-me de prazer, em treinos de telepatia, hipnose e fricção do corpo com outras matérias para obtenção de prazer erótico. Actos Passionales é o nome da residência que originou Quiero hacer el amor, performance de 2017 em que um grupo de mulheres fazem amor com edifícios. A rebelião de Artemísia é o nome da residência do espetáculo LOBO, onde Carolina trabalhou apenas com performers do sexo masculino. E por fim, A linguagem diabólica é o nome que deu às práticas de O TREMOR MAGNÍFICO, que vão do estudo de uma linha do tempo borrada a dançar com fantasmas e trabalhar com a idéia de um estado de possessão.

   Os espetáculos citados aqui foram construídos junto a um coletivo de artistas, Cara de Cavalo, que assumem diferentes funções a cada obra. Grande parte desses artistas são convidados a partir dos encontros nas residências.

   Carolina promove uma tentativa incansável de materialização de estados que se constroem nessas práticas através da performatividade em cena, aliados a uma poética textual extremamente carnal e uma pesquisa estética que envolve intensa arqueologia do universo de paixões da diretora: obras da pintura barroca, canções emblemáticas de outras décadas, filmes de horror e autoras como Emily Dickinson e Pier Paolo Pasolini.

   Os espetáculos criados por Carolina Bianchi y Cara de Cavalo consistem em pequenos mundos por onde se cavalga com uma linguagem muito própria. As cenas formam um amontoado de equações insolúveis, pequenos quadros de horror e beleza, molhados de suor, esgotados de êxtase primordial, aonde nada se resolve - não há soluções - e a angústia do Eros sempre contempla a morte. A morte não como finalidade, mas como uma parte inevitável da jornada poética: é sempre preciso se despedir de algo para uma nova coisa surgir.

 

página do Libretto

O TREMOR MAGNÍFICO

​Érico Peretta

Histórico de Apresentações

MATA-ME DE PRAZER (2016)

Duas temporadas na Oficina Cultural Oswald de Andrade

Festival Cena Brasil Internacional CCBB RJ

Atos de Fala (Sesc Tijuca)

Mostra Degeneradas (Sesc Santana)

TUSP

Mostra In Loquos (Sesc Santo Amaro).

Sesc Vila Mariana - Maratona das paixões

 

QUIERO HACER EL AMOR (2017)

Oficina Cultural Oswald de Andrade

Sesc Santana

Sesc 24 de Maio

Sesc Pinheiros

Sesc Vila Mariana - Maratona das paixões

 

L O B O (2018)

Residência de dramaturgia Panorama Sur (Buenos Aires)

Teatro de Contêiner - SP

7º Festival Cena Brasil Internacional - RJ

Teatro Oficina UZYNA UZONA - SP

SESC Vila Mariana - Maratona das paixões

6a Mostra Internacional de Teatro de São Paulo / MIT-br (Plataforma Brasil)

SESC Pompéia

Escola de Cinema Darcy Ribeiro (Mostra Caixote) - RJ

26º Porto Alegre em Cena

Galpão do Folias - SP

Teatro João Caetano

NY Skirball abril de 2020 > cancelada devido à pandemia global

O TREMOR MAGNÍFICO (2020):

Estréia em 04 de março de 2020 no Teatro de Contêiner - SP.  > temporada interrompida devido à pandemia global.

Carolina Bianchi Y Cara de Cavalo

  • Ícone do Facebook Cinza
  • Ícone do Instagram Cinza
  • Ícone do Vimeo Cinza