A Rebelião de Artemísia

Práticas de LOBO

LOBO foi criado em parte, a partir de uma residência, aonde a diretora Carolina Bianchi trabalhou com 30 performers do sexo masculino e ao final, convidou 15  a participarem do processo de criação da obra, que estreou em São Paulo em maio de 2018.
  Nas circulações de LOBO por outras cidades, a estratégia da residência seguiu e se aprofundou, como foi o caso do Rio de Janeiro ( Cena Brasil Internacional 2018) e Porto Alegre em cena (2019). Isso permite que possamos trabalhar com artistas dos locais das apresentações, durante o período de 15 a 10 dias, e esses artistas são convidados a performar LOBO nas apresentações em sua cidade, juntamente com Carolina e performers da versão original do trabalho.

 

A residência A rebelião de Artemísia- Práticas do LOBO, consiste num programa de práticas que envolve ensaios, dinâmicas de movimento das cenas, coreografias e experiências que compreendem a montagem do espetáculo.

 

“Vivenciar as práticas que levam à construção de LOBO, atravessando dispositivos performativos que evocam sentidos de um corpo extremo: o sexo, a violência e a rebelião da paixão diante do terror absoluto. Abrir espaços, tensionar imagens, explodir e recomeçar. Criar alianças. Me espalhar, me explodir em outros corpos, como uma bomba terrorista do amor.”

 

Judite decapitando Holofernes

Artemísia Gentilleschi

1612

Carolina Bianchi Y Cara de Cavalo | São Paulo, Brasil 2020

  • Ícone do Facebook Cinza
  • Ícone do Instagram Cinza
  • Ícone do Vimeo Cinza