O TREMOR MAGNÍIFICO

registro de ensaio, 2019 

Mayra Azzi

O TREMOR MAGNÍFICO

"Essa é uma História sobre fantasmas e vampiros e mulheres furiosas e homens nojentos e bruxas que começaram o que chamamos de "mundo" voando sobre nossas cabeças. Essa é uma história sobre cabeças rolando e mulheres cansadas e uma criança que sabe o segredo do rosto de deus, do rosto do diabo. Essa é uma história sobre a relação sádica, a relação S&M que temos com pessoas que nos foderam historicamente. Essa também é uma história de amor." [Carolina Bianchi]

 

Direção, Dramaturgia e Concepção: Carolina Bianchi
Em cena e em colaboração na criação: Danielli Mendes, Joana Ferraz, Larissa Ballarotti, Chico Lima, José Artur Campos, Marina Matheus, Tomás Decina e Carolina Bianchi
Assistência de Direção e participação em cena: Luisa Dalgalarrondo
Direção de produção: Jasmim Produção Cultural
Produção Executiva: AnaCris Medina e Lu Mugayar
Luz: João Rios
Música original: Miguel Caldas
Desenho de som: Miguel Caldas e Joana Flor
Pesquisa de trilha sonora: Carolina Bianchi
Assistência técnica e produção: João Gabriel OM, João Duarte e Felipe Marcondes
Figurinos: Antonio Vanfill
Direção de arte: Tomás Decina
Assistência de arte e figurinos: Lu Mugayar
Fotos: Mayra Azzi
Design gráfico: Érico Peretta
Vídeos: Thany Sanches
Registros em vídeo de processo e peça: Clara Cavour
Efeitos: Gustavo Saulle
Comunicação: José Artur Campos
Confabulações de pesquisa y bruxarias de todo tipo: Carolina Mendonça e Rodrigo Andreolli
Satanismo e sinapses fundamentais: Gabriela Amaral Almeida
Apoio: Festival Atos de Fala, Simpatia257, O Andar, Espaço Multiartístico Capital 35, Estúdio Fita Crepe, Fazenda Santa Esther, Oficina Cultural Oswald de Andrade, a casa do Henrique Lima, Fernando Frahia e Teatro de Contêiner
Realização: Carolina Bianchi Y Cara de Cavalo

> Estreia 04 de Março de 2020 | A temporada foi interrompida devido à pandemia do Coronavírus.

> A forma desse trabalho existir hoje é através do Libretto | O TREMOR MAGNÍFICO

O TREMOR MAGNÍFICO é o mais recente trabalho de Carolina Bianchi Y Cara de Cavalo. Estreou em março de 2020 no Teatro de Contêiner em São Paulo.

O trabalho lança mão de um universo simbólico, simbiótico e desordenado para um mergulho nessa relação contraditória e irreconciliável com o passado.

Em cena estão Danielli Mendes, Larissa Ballarotti, Marina Matheus, Joana Ferraz, Tomás Decina, Chico Lima, José Artur Campos e a própria Bianchi, que criou uma dramaturgia de quatro ciclos, com quatro saltos no tempo. A natureza do cinema de horror, a literatura sadiana,  Orlando de Virginia Woolf e a poesia de Emily Dickinson estão entre as fontes de pesquisa deste trabalho.

Partimos de dois pontos cruciais para este novo trabalho: o primeiro são as noções de passado e tempo que estão alocadas nos nossos corpos. Como lidamos com esse acúmulo de informações de Eras, estilhaços de passado em nosso corpo e em nossa subjetividade? O outro ponto que orientou a pesquisa de O Tremor Magnífico é como a História não dá conta das mulheres consideradas violentas.

Nos parece uma contradição a mulher ser cruel, porque a narrativa histórica hegemônica é patriarcal e altamente perigosa para as mulheres. Deveríamos ser dóceis, para não sermos aniquiladas. Tudo que é considerado monstruoso na mulher, é aquilo que o homem não consegue dominar. – diz Carolina Bianchi.

O Tremor Magnífico é uma tentativa errática de borrar alguns sentidos da linearidade histórica, misturando fatos ficcionais e fatos reais. Invoca monstros, rainhas, fantasmas, condessas sanguinárias e poetas mortas, que se atravessam num mashup histórico, violento e molhado.

"Parece ilógico que o tempo opere em ciclos eternos que se repetem, ao mesmo tempo que a História apresenta lacunas  que não parecem possíveis de caber numa cronologia, na sequencia de fatos como as conhecemos. Convivemos com milhares de fantasmas desse e de outros tempos. Negociamos a todo tempo essa sensação de já ter vivido o presente porque de fato estamos diante de acontecimentos que parecem repetir questões de 50, 500 anos atrás." [Carolina Mendonça]

O trabalho lança mão de um entendimento de história para rearquitetar irresponsavelmente a trajetória do ser humano como carnífice do horror, do êxtase, da agonia, do desejo impossível de se permanecer na linguagem, e do susto da repetição inevitável da morte.

Durante os meses de ensaios houve algumas residências para criação e compartilhamento das práticas que envolvem O Tremor Magnífico. A esses laboratórios deu-se o nome de “A Linguagem Diabólica”, onde o material foi sendo mexido e revirado por muitas presenças e em muitos lugares.

 

LIBRETTO | O TREMOR MAGNÍFICO

 

Essa é a primeira vez que textos de Carolina Bianchi foram editados em uma publicação. O libretto é uma pequena peça de arte  que contém imagens,  textos que estão na obra, textos que não entraram na peça, e também textos produzidos pelos perfomers do trabalho durante o processo de ensaios. A fotógrafa Mayra Azzi, parceira de Bianchi, também colabora no livro com diversas fotografias de ensaios da peça. O design gráfico do libretto é de Érico Peretta e a edição é de Marina Matheus.

"É no contexto em que nos percebemos lidando com monstros que já deveriam ser superados aparecendo para nos assombrar que surge O Tremor Magnífico. É na constatação de que é impossível superá-los por completo que se desenvolve esta peça." [MMXIX de Luisa Dalgalarrondo]

capa_LIBRETTO site.jpg

1/1

1/1

Carolina Bianchi Y Cara de Cavalo | São Paulo, Brasil 2020

  • Ícone do Facebook Cinza
  • Ícone do Instagram Cinza
  • Ícone do Vimeo Cinza